Você está aqui
Home > Coberturas de shows > Prophets of Rage: Incendiando a Audio com críticas políticas e catarse coletiva

Prophets of Rage: Incendiando a Audio com críticas políticas e catarse coletiva

prophets1

‘Fora Temer’. Com essas palavras estampadas na parte de trás da guitarra de Tom Morello, o supergrupo Prophets of Rage, formado por integrantes do Rage Against The Machine (Tom Morello, Brad Wilk e Tim Commerford), Cypress Hill (B Real) e Public Enemy (Chuck D e DJ Lord) desembarcou para sua primeira apresentação no Brasil em São Paulo.

O sexteto subiu ao palco após o excelente set de DJ Lord que serviu para preparar os presentes para a pancadaria sonora que viria a seguir enquanto a casa ia enchendo aos poucos. Mesmo que não tenha enchido totalmente, isso acabou sendo um excelente fato, já que não só na pista haviam rodas e mais rodas, algumas chegaram a surgir até em frente aos bares na lateral do local.

Reconhecido como um dos melhores guitarristas da atualidade, Morello guia o grupo extraindo sons de todas as formas de seu instrumento, seja com pedais ou até com o cabo da guitarra e seu ato de protesto, gesto que repente em cada país de acordo com algum assunto local, acabou por incentivar um momento de protesto no show, o que não seria de se espantar considerando o percentual de aprovação do alvo da pessoa em questão.

A crítica, é claro, faz parte da temática das letras de todos os grupos dos músicos ali presentes, dessa forma não era de se espantar de as pessoas cantassem letras como “Fight The Power” ou “Take The Power Back” não só por gostarem, mas sim por elas representarem ali uma vontade delas, uma opinião, algo que durante o dia a dia possa estar reprimido. A música sempre teve o poder de dar voz aos pensamentos de muitos, de minorias ou mesmo de maiorias ao falar de temas que ressoem com o íntimo das pessoas. “A música é capaz de reproduzir, em sua forma real, a dor que dilacera a alma e o sorriso que inebria.” disse Ludwig Van Beethoven.

Transitando das guitarras para o hip-hop, a fração Rage Against sai de cena momentaneamente e Chuck D e B Real descem do palco para na grade fazerem um medley de canções do Public Enemy e Cypress Hill finalizando com “Jump Around” do House of Pain, deixando desacreditados muitos dos presentes, que não esperavam ver algo do tipo acontecendo ou que poderiam chegar tão perto de duas lendas do hip-hop como aconteceu ali.

Entram novamente Morello, Commerford e Wilk e são tocadas  “Sleep Now In The Fire”, cujo vídeo ficou conhecido por fechar a Bolsa de Valores de Nova York ao ser gravado em Wall Street, e “Bullet In The Head” do primeiro disco do Rage Against The Machine. “The Party’s Over”, canção do EP de mesmo nome, lançada pelo Prophets of Rage no ano passado mostrou que o grupo não é só apenas um cover de luxo das bandas de seus membos e sim, um grupo de verdade com potencial e personalidade própria.

Mesmo com a extensa discografia de três grupos a ser percorrida, houve espaço para mais uma música inédita e uma cover: “Unfuck The World” fará parte do novo material que o grupo vem trabalhando com previsão de lançamento para o segundo semestre desse ano e foi seguida por “Seven Nation Army” do The White Stripes cantada por todos os presentes e que ganhou uma bem-vinda dose de peso e raiva extra em relação à original.

E para encerrar a noite, terminando a catarse coletiva no local, a sequência de “Bulls on Parade” e “Killing In The Name”, o maior hit do Rage Against The Machine foi executada de forma incendiária pelo supergrupo, arrancando dos presentes o que ainda lhes restava de sua voz e forças para pular e para as últimas rodas. E assim sair dali com a certeza de terem visto um dos melhores shows do ano, já que a apresentação com certeza vai figurar nas listas de melhores dos anos de muitas pessoas e da mídia especializada com certeza.

Restam ainda ingressos para as apresentações no Rio de Janeiro na sexta feira e novamente em São Paulo, no sábado dia 13 durante o Maximus Festival no Autódromo de Interlagos onde o grupo se apresenta ao lado de nomes como Linkin Park, Rise Against, Rob Zombie, Five Finger Death Punch e Slayer.

Setlist Prophets of Rage @ Audio Club

DJ Lord Intro
Prophets of Rage (Public Enemy)
Testify (Rage Against the Machine)
Take the Power Back (Rage Against the Machine)
Guerrilla Radio (Rage Against the Machine)
How I Could Just Kill a Man (Cypress Hill)
Bombtrack (Rage Against the Machine)
People of the Sun (Rage Against the Machine)
Fight the Power (Public Enemy)

Hand on the Pump / Can’t Truss It / Insane in the Brain / Bring the Noise / I Ain’t Goin’ Out Like That / Welcome to the Terrordome / Jump Around (medley – Cypress Hill, Public Enemy, House of Pain)

Sleep Now in the Fire (Rage Against the Machine)
Bullet in the Head (Rage Against the Machine)
The Party’s Over
Know Your Enemy (Rage Against the Machine)
Unfuck The World
Seven Nation Army (The White Stripes)
Bulls on Parade (Rage Against the Machine)
Killing in the Name (Rage Against the Machine)

Deixe uma resposta

Top